01 setembro 2004

P.E.I.D.O.



-- Bem vindos meus amigos a este espaço radiofónico de divulgação científica! Mais uma vez caros amigos, temos connosco o estimado Prof. Nero! É um prazer tê-lo de novo aqui Prof. Nero. E deixe-me dizer-lhe que não consigo sequer dizer o nome do seu invento. Ah Ah Ah!
-- Está bem amigo eu digo por você. Trata-se do PEIDO.
-- Ah Ah Ah Prof Nero! O senhor tem um fenomenal senso de humor além de tudo o mais. Mas diga-nos professor, isso está relacionado com o dito cujo?
-- Exactamente assim é.
-- Eh Eh Eh! Então isso é o quê?
-- PEIDO são as iniciais de Percursor Enzimático Inibidor de Odor. Trocado por miúdos significa que o dito cujo fica sem cheiro.
-- Fenomenal Prof Nero! Quer dizer que se acabaram de uma vez por todas com aqueles venenosos que matam uma pessoa a 30 metros de distância...
-- Que eu saiba nunca mataram ninguém...
-- Ah Ah Ah!
-- Mas de certeza que se tornarão menos incomodativos! Mas não ficamos por aqui...
-- Não Prof? Quer dizer que há mais?
-- Sim, no meu laboratório nunca estamos satisfeitos, temos sempre outra meta a seguir. Como vê, dominado o processo de redução do odor, era fácil esperar que pudéssemos controlar a formação de qualquer odor resultante das fermentações intestinais. E foi essa via que decidimos prosseguir...
-- A via do intestino, não é Prof? Ah Ah Ah!
-- A via do tubo digestivo para ser mais preciso...
-- Desculpe o gracejo Prof...
-- Enfim, não tem problema. Conseguimos encontrar percursores enzimáticos que estabelecem as chamadas cadeias aromáticas. Em termos simples as cadeias aromáticas são hidrocarbonetos...
-- Meu Deus Prof. Nero, não nos diga que no buraco ao fundo das costas podemos vir a ter uma fonte de petróleo!
-- Graceja novamente o amigo... Mas sim, em termos muito simplistas estes percursores enzimáticos podem fomentar a produção de cadeias aromáticas por agora. Estamos a pesquisar a possibilidade de produção de outros complexos.
-- Mas isso é fantástico Prof! Cada um de nós pode tornar-se energeticamente independente, refinando a sua própria mer... Perdão! Refinando os efluentes domésticos!
-- Bem, não vejo muito bem como, mas reconheço o potencial destes percursores enzimáticos como eventuais intervenientes numa cadeia que possa levar à produção acelerada de hidrocarbonetos de uma forma puramente sintética.
-- No fundo, o petróleo pode estar ao alcance de qualquer nação que detenha a tecnologia desses percursores enzimáticos, natilde;o é Prof Nero?
-- Resumiu muito bem. Por agora apenas estamos interessados na produção do medicamento para evitar o odor na flatulência e continuamos a investigação nessa direcção...
-- Presumo que muitas empresa já o tenham aliciado...
-- Ainda não. Estamos na fase inicial do projecto e esta é uma novidade em primeira mão que damos aos nossos ouvintes...
-- Ouviram! Muito nos honra Prof. Nero! Mas acautele-se Prof! Estou a ver todas as grandes empresas petrolíferas preocupadas consigo.
-- É inútil amigo, porque isto ainda está mesmo muito incipiente...
-- Obrigado Prof. Nero pelas suas declarações! Em rigoroso exclusivo ouviram a nova descoberta do Prof. Nero! Mundo espera-te uma revolução! E tudo graças ao inteligentíssimo Prof. Nero!
-- A equipa... é tudo trabalho de equipa...

1 comentário:

Porcelain Doll disse...

Eheheheheh, ahahahahah!! :D

Bem... seria de facto uma revolução!! :D

O Prof.Nero é de facto genial... digamos que é uma cabecinha de facto muito idiota... eu gostava de poder mudar o mundo para fazer uma cabecinha idiota assim governá-lo... com liberdade... e genialidade... :)

Beijos!